Mozarlândia é alvo de investigação na Operação Meu Zeloso Guardador

51 mandados de busca e apreensão em mais de 15 cidades goianas, foi o alvo da operação em combate à pornografia infantil da Polícia Civil desta terça-feira 09 de outubro de 2018 sob coordenação da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos. O objetivo da operação foi de combater a disseminação de conteúdo pornográfico infantil na internet.

Dentre as cidades está Mozarlândia, Aruanã, Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis, Bela Vista, Senador Canedo, Trindade, Inhumas, Pirenópolis, Caturaí, Itumbiara, Planaltina de Goiás, Rio Verde, Cidade de Goiás e Jataí.

Na operação contou com o auxilio de mais 280 policiais civis. Os mandados foram expedidos pela Justiça Criminal de Goiânia após o deferimento da delegada Sabrina Leles após quatro meses de investigação com mais de 100 mil arquivos.

Servidora filha de ex prefeito de Mozarlândia que não cumpriu carga horária deve devolver valor das gratificações

A denúnica foi apresentada pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), onde Reneudes Rodrigues deverá devolver cerca de 72,8mil e ainda pagar um multa cível de 145,6 mil. A decisão da juíza Marianna de Queiroz Gomes, da comarca de Mozarlândia, condenou a servidora efetiva por improbidade administrativa, por não cumprir carga horária.

A servidora também foi condenada penalmente em um outro processo, bem como a secretária municipal  Dalilla Catherinne Matos Batista, que validou as folhas de ponto.

Na sentença também, Reneudes perdeu a função pública, teve os direitos políticos suspensos por oito anos e ficou proibida de ser contrata com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, também pelo prazo de oito anos. Veja sentença civil.

Ação Penal

Da ação penal, ambas as servidores foram condenadas, sendo Reneudes pelo crime de falsidade ideológica e Dalilla Catherinne Matos Batista que era secretária municipal de saúde, pelo crime de falsidade ideológica e prevaricação, a três anos, 10 meses e 20 dias de reclusão e 08 meses e 19 dias de detenção, além do pagamento de 113 dias-multa.

Dalilla, que era chefe imediata de Reneudes, tendo conhecimento que a mesma não exercia a carga horária complementar, validou o controle de frequência de Reneudes, encobrindo assim as ausências ilegais e injustificadas desta, conforme ponderou a magistrada.  “O mínimo que se exige para assumir uma função tão importante são conhecimentos básicos do cargo, tais como, o dever de fiscalizar a carga horária do servidor antes de validar a ficha frequência”, destacou. Veja sentença penal.

Fonte: (Centro de Comunicação Social do TJGO)

MP ajuíza ação de improbidade contra prefeita e ex-prefeito de Araguapaz

Os promotores de Justiça Gabriela Starling Jorge Vieira de Melo e Tommaso Leonardi propuseram Ação Civil Pública em desfavor da prefeita de Araguapaz, Márcia Bernardino, e seu esposo, o ex-prefeito José Segundo Rezende Júnior. De acordo com a ação, o ex-prefeito, mesmo estando com seus direitos políticos suspensos por decisão judicial, vem atuando como prefeito de facto do município, no lugar da atual prefeita eleita.

Os promotores solicitam a decretação da indisponibilidade dos bens dos requeridos em valores não inferiores a R$ 50.000,00 dentro da proporção necessária para resguardar o pagamento da futura multa civil, que deverá ser fixada no mínimo em dez vezes o salário destes, e do eventual ressarcimento ao erário, em virtude dos danos morais coletivos.

Pedem ainda o afastamento cautelar da prefeita Márcia Bernardino de Souza de suas funções, uma vez que a sua permanência no cargo permitirá a prática de atos destinados ao desaparecimento de provas, à coação de testemunhas e, ainda, ao tráfico de influência desti nado a impedir que haja bom termo no andamento deste processo.

Por fim, pede também o deferimento da medida cautelar de afastamento do ex-prefeito Jose Segundo Rezende Júnior sede da Prefeitura de Araguapaz, permitindo que ele acesse tão somente os espaços destinados a qualquer cidadão.

Entenda

De acordo com os promotores, José Segundo foi prefeito de Araguapaz por dois mandatos, dentre os anos de 2001 e 2008. Neste período, ele foi alvo de ação por improbidade administrativa, que resultou com suspensão de seus direitos políticos por três anos e multa no valor de dez vezes o valor da última remuneração como prefeito.

Como a confirmação da condenação ocorreu no dia 15 de março de 2016, a suspensão de seus direitos políticos passou a vigorar, impedindo que José Segundo concorresse às eleições municipais naquele ano. Com isso, sua esposa, Márcia Bernardino concorreu e foi eleita, assumindo o cargo de prefeita de Araguapaz em 1º de janeiro de 2017.

Desde então a promotoria tem recebido inúmeras notícias e denúncias de que a prefeita eleita não vem exercendo o cargo que lhe foi confiado, mas sim seu marido, o ex-prefeito José Segundo Rezende Júnior, à revelia da vontade popular e da decisão judicial proferida pelo TJ-GO.

Os promotores descrevem nos autos que a situação vem gerando perplexidade nos munícipes, uma vez que prefeita e ex-prefeito não se preocupam sequer em tratar a situação com discrição, uma vez que os comandos relativos à administração municipal são emitidos por José Segundo e não pela prefeita eleita Márcia Bernardino.

Em análise aos elementos coletados, os promotores puderam comprovar a situação ocorrendo em diversas maneiras. A primeira delas foi em relação à análise de decretos municipais nos quais a prefeita nomeia seu marido para compor a Comissão de Transição do Governo de Araguapaz, mesmo estando ele com os direitos políticos suspensos.

Outra situação curiosa ocorreu quando, ainda durante o período de transição, no dia 11 de novembro de 2016, ao observarem documentos de uma reunião de transição do Consórcio Intermunicipal de Licenciamento Ambiental – CONSED, na cidade de Itapuranga, onde os municípios consorciados, através de seus prefeitos atuais e prefeitos eleitos, definiriam a sucessão administrativa do Consórcio a partir de janeiro de 2017, na impossibilidade de participação da prefeita eleita, Araguapaz foi representada pelo ex-prefeito Jose Segundo, e não pelo vice-prefeito eleito .

Entrevistas e visitas ao MP

Além das flagrantes situações, o ex-prefeito tem substituído a prefeita eleita até em entrevistas para emissoras de televisão, além de se encontrar com o vice-governador e com o próprio governador em eventos oficiais. José Segundo chegou até a comparecer ao próprio Ministério Público, representando a prefeita, para tratar de assuntos relativos à administração municipal em reunião.

A situação, além de confirmada por auxiliares diretos da prefeita, como secretários, também foi relatava em entrevistas a rádios pelo próprio ex-prefeito, que não escondeu que ele próprio responde pela prefeita e exerce a função política por ela, ao argumento de que ela não gosta dessa tarefa, levando os promotores a ajuizarem a ação ao fato de ser flagrante a violação ao princípio da segurança jurídica, pelo desrespeito ao instituto da coisa julgada. (Texto: Fagner Pinho / Foto: arquivo – Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

http://www.mpgo.mp.br/portal/noticia/mp-ajuiza-acao-de-improbidade-contra-prefeita-e-ex-prefeito-de-araguapaz#.WozH64Fv80M

Como são validados as pesquisas de intenções de voto durante as eleições.

Todo ano é sempre a mesma coisa é candidato para todo lado pedido o seu voto. Sem contar as velhas pesquisas que sai a todo momento dizendo que candidato A é candidato B está na frente. Bem isso faz com que os eleitores se confunda e se perca com tanta informação.

Mais você sabe que essas pesquisas para ser validas devem ser registradas no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), isso mesmo é as empresas também que realizam essas pesquisas precisam ser registradas também.

O Agitamozar.Net pesquisou os principais municípios da região do Vale do Araguaia é percebeu que somente Araguapaz (duas pesquisas) Nova Crixás (uma pesquisa) é Fainã (uma pesquisa) tiveram pesquisas contratadas  e validadas por empresas no TSE. Já o município de Mozarlândia é Araunã não foi encontrado nenhum pesquisa validada nessa eleição de 2016.

 

nova-crixas araguapaz

Prefeito de Mozarlândia é denunciado em crimes investigados pela Operação Tarja Preta

Fonte: opopular.com.br

O prefeito de Mozarlândia, João Soares de Oliveira, e outras 14 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) por crimes apurados nas investigações da Operação Tarja Preta, deflagrada em outubro de 2013.

A investigação visava apurar esquema de venda fraudada e superfaturada de medicamentos e equipamentos hospitalares e odontológicos para prefeituras goianas. Segundo o MP-GO, em Mozarlândia, município da região Noroeste do Estado, a associação criminosa atuou na contratação irregular das empresas Ideal Hospitalar, Pró-Hospital e J. Médica para fornecimento de medicamentos e insumos hospitalares sem licitação e sem que houvesse procedimento regular de dispensa do certame.

A secretária de Saúde do município, Maria José Matias Pereira, e os servidores municipais Thiago Lorena Reis, Fábio Borges Arruda e Vildenan Rezende Bezerra estão entre as pessoas relacionadas pelo MP-GO. Conforme a denúncia, para que o esquema fosse possível, gestores da administração municipal receberam vantagem indevida paga pelas empresas. O pagamento foi feito como forma de auxílio para a campanha eleitoral do então candidato João Soares. Os valores foram repassados por meio de cheques, quitados em 2013, durante mandato do prefeito, e totalizaram R$ 30 mil.

Justiça Eleitoral divulga lista dos inelegíveis dos municípios goianos.

#‎Mozarlândia‬, ‪#‎Araguapaz‬, ‪#‎Fainã‬, ‪#‎NovaCrixás‬, ‪#‎Aruanã‬, ‪#‎Goiânia‬, ‪#‎Rubiataba‬, ‪#‎Jussara‬ ‪#‎BritâniaGo‬, ‪#‎CeresGo‬, ‪#‎CidadedeGoías‬, ‪#‎portalagitamozar‬, ‪#‎agitamozar

A lista divulgada com base nas informações do TCM referente às apresentações de contas no período de 2008 à 2016.

Em Mozarlândia estão listados 11 (Clique Aqui)

Tribunal de Contas da União também já divulgou a lista dos inelegíveis de todo país. (Clique Aqui)

Na lista está ex prefeito (2009 a 2012) e o atual prefeito em exercício (2013 a 2016) de Mozarlândia.

 

Lei que cria programa de combate ao bullying começa a valer esta semana

Clubes, agremiações recreativas de todo o país, a partir desta semana deverão desenvolver medidas de conscientização, prevenção e combate ao bullying. A lei foi sancionada em novembro passado e prevê a realização de campanhas educativas e assistência psicológica, social e jurídica às vítimas e aos agressores.

O texto define objetivos propostos pelo programa que poderão ser usados para fundamentar ações do Ministério da Educação, das secretarias estaduais e municipais de educação e também de outros órgãos. Dentre as ações previstas está a capacitação de docentes e equipes pedagógicas para a implementação das ações de discussão, prevenção, orientação e solução do problema.

Bullying no texto da lei se caracteriza como todo ato de violência física ou psicológica, intencional e repetitivo, que ocorre sem motivação evidente, praticado por indivíduo ou grupo, contra uma ou mais pessoas, com o objetivo de intimidá-la ou agredi-la, causando dor e angústia à vítima em uma relação de desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas.

Memes em redes sociais viralizam após bloqueios do app do Whatsapp.

Hoje os brasileiros acordados meios frustrados, isso devido ao um simples aplicativo de mensagens usados por bilhões de pessoas no mundo inteiro. Alguns acham que esse bloqueio se dá devido as operadoras de telefonia questionar à ilegalidade do aplicativo, devido ele utilizar o próprio número telefônico do usuário e também de realizar ligações de graça pelo meio da internet. Todos as operadoras do Brasil, negação esse fato.

Mais o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) afirmou que a decisão partiu da 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, e corre em segredo de justiça em uma ação criminal.

Isso devido o WhatsApp não atender a uma determinação judicial de 23 de julho de 2015. A empresa foi notificada mais uma vez em 7 de agosto, com uma multa fixada em caso de não cumprimento.

Essa não é a primeira tentativa de bloquear o WhatsApp no país. Em fevereiro, um juiz de Teresina (PI) havia determinado que as operadoras suspendessem temporariamente o acesso ao app de mensagens.

O motivo seria uma recusa do WhatsApp em fornecer informações para uma investigação policial que vinha desde 2013.

Mark Zuckerberg:, Dono do Facebook/Whatsapp postou em sua página uma Hashtags com os dizeres: #‎ConectaBrasil ‪#‎ConecteoMundo

Já nas redes sociais, os brasileiros postaram vários memes em relação ao bloqueios.

Tem algum memes engraçado, mande para nós.. só não pelo whatsapp… contato@agitamozar.net.

Facebook
Facebook
Google+
http://agitamozar.net/category/justica
Instagram
Whatsapp
www.000webhost.com