Foi batido o martelo.

O comandante do Exército, Eduardo Villas Bôas, disse no programa Conversa com Bial, da TV Globo, que o general Antônio Hamilton Mourão não será punido.Contou que os dois conversaram e que era preciso entender o contexto em que foi feito o discurso.Para Villas Bôas não houve quebra de hierarquia.   

Na última sexta-feira, Mourão afirmou, durante um evento em uma loja maçônica, que as Forças Armadas iriam “impor” uma intervenção militar, caso o Judiciário não retirasse da vida pública os elementos envolvidos em corrupção. A fala, como os leitores da coluna acompanharam, causou uma reação forte. Tanto dentro como fora dos quartéis.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, pediu a Villas Bôas uma punição severa para Mourão. O medo de Jungmann era deixar uma porta escancarada para outras manifestações de militares da ativa. Por outro lado, Villas Bôas não queria que uma reprimenda acima do tom pudesse transformar Mourão em herói ou mártir. E foi esse receio que prevaleceu. Villas Bôas também ficou impressionado com o enorme apoio que os colegas de farda deram a Mourão.          

Fonte: R7