A declaração de independência unilateral tomada pelo governo regional da Catalunha não agradou a todos os habitantes da região. Centenas de pessoas contrárias à secessão protestaram, na noite desta sexta-feira, no centro de Barcelona, contra a independência da região, carregando bandeiras espanholas.

Em resposta ao movimento catalão, o primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, anunciou a destituição do governo regional e do chefe de polícia e convocou novas eleições para 21 de dezembro. O Parlamento da Catalunha também foi dissolvido.

O líder socialista da Catalunha, Miquel Iceta, que é opositor ao atual líder catalão, Carles Puigdmeont, comemorou o anúncio de uma nova eleição em seu perfil no Twitter. “No dia mais triste, devido a uma decisão errada e irresponsável dos separatistas, vemos um raio de luz”, comentou.

Presidente do Parlamento Europeu condena movimento separatista

O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, condenou o voto do parlamento catalão para declarar independência e disse que o ato não seria reconhecido pela União Europeia. Tajani afirmou que o movimento “é uma violação da lei”.

Alemanha, Reino Unido e Chipre estão entre os países europeus que já deixaram claro que apoiam a união espanhola e não reconhecem a decisão unilateral da Catalunha. O Departamento de Estado dos Estados Unidos também emitiu um comunicado parecido.

Fonte: R7