Autor: wraraujo

Imposto de Renda: veja a forma correta de enviar a declaração

Prazo termina no dia 30 de abril deste ano Agência Brasil Os contribuintes têm 15 dias para entregar a declaração do Imposto de Renda à Receita Federal sem ser multado, já que o prazo termina no dia 30 de abril deste ano. Para enviar o documento, a pessoa precisa seguir alguns passos.  Segundo a Receita Federal, a declaração precisa ser enviada por meio do PGD (Programa Gerador da Declaração) ou por meio do porgrama de trasmissão Receitanet, disponível no site da Receita.  Também é possível realizar o processo por meio do “Meu Imposto de Renda”.  Veja também IR 2018: Declarar sem ser obrigado pode render uma grana extra Contribuinte precisa de documentos de dependentes para declarar IR Brasileiros no exterior não podem se esquecer de declarar o IR 2018 IR 2018: Declarar sem ser obrigado pode render uma grana extra Contribuinte precisa de documentos de dependentes para declarar IR Brasileiros no exterior não podem se esquecer de declarar o IR 2018 A Receita explica que ” a comprovação da apresentação da Declaração de Ajuste Anual é feita por meio de recibo gravado após a transmissão, em disco rígido de computador, em mídia removível ou no dispositivo móvel que contenha a declaração transmitida, cuja impressão fica a cargo do contribuinte”.  Veja o manual disponibilizado pela Receita Federal de como enviar a declaração corretamente:  Por meio do Programa Gerador da Declaração:...

Read More

Mauritânia: o último reduto da escravidão tradicional no mundo

Muitas crianças na Mauritânia ainda nascem como escravas Arte R7 baseada no foto de Michael Hylton/Anti-Slavery International É difícil de acreditar que no século XXI ainda exista no mundo um lugar onde crianças nascem escravas, mas na Mauritânia essa ainda é a realidade de muitas pessoas. No país do noroeste da África, o sistema de escravidão ainda é o tradicional, semelhante ao que o Brasil viveu por quase quatro séculos. Lá, os mais ricos ainda podem ser “donos” de outras pessoas. A condição de escravo é hereditária e passa de mãe para filho. “Eles [as pessoas escravizadas] estão socialmente mortos, invisíveis. Ao contrário de outras formas de escravidão, essas pessoas não conhecem a vida fora da zona permitida em que vivem”, explica a primeira Relatora Especial sobre Escravidão no Conselho de Direitos Humanos da ONU, Gulnara Shahinian, que acompanha muito de perto a situação no país africano. Não existem dados oficiais confiáveis sobre a quantidade de pessoas escravizadas que vivem na Mauritânia, mas as estimativas são altas. O Índice Global de Escravidão divulgado em 2016 aponta que 43 mil pessoas, o que equivale a 1% da população do país executa trabalhos forçados. Mas o especialista em escravidão Mike Dottridge, ouvido pelo R7, questiona esse dado. “Isto é baseado em uma amostra aleatória, uma pesquisa nacional representativa conduzida em 2015, que procurou identificar casos de casamento forçado e trabalho forçado...

Read More

Último submarino dos nazistas é encontrado na Dinamarca

Torre de um submarino alemão série XXI, similar ao U-3523, localizado na Dinamarca Wikimedia Commons O último submarino alemão afundado em batalha na Segunda Guerra Mundial foi localizado no Mar do Norte, perto da cidade de Skagen, na costa da Noruega. A embarcação, considerada a mais moderna no mundo na época, poderia estar em uso por oficiais nazistas que tentavam fugir da Europa após a derrota da Alemanha. O U-3523 fazia parte da chamada Série XXI e tinha autonomia para atravessar o oceano Atlântico e chegar à América do Sul, se necessário. Os pesquisadores ainda não sabem, no entanto, quem estava dentro do submarino em sua última viagem, nem qual seria o destino. Tecnologia A descoberta foi feita pelo Museu de Guerra Marítima de Jutland, na Dinamarca, que nos últimos anos vem mapeando o fundo do Mar do Norte e já localizou centenas de embarcações naufragadas, entre elas nove submarinos alemães e três britânicos. “Esse era um submarino de guerra muito especial. Foi o mais moderno que os alemães construíram durante a guerra. Era muito moderno e estava à frente de seu tempo. Somente dois dos 118 que foram encomendados pelo comando nazista entraram em serviço”, contou o diretor do museu de Jutland, Gert Normann Andersen, à agência de notícias Ritzau, da Dinamarca. O U-3523 tinha seis tubos de lançamento de torpedos, mas seu principal equipamento eram os motores:...

Read More

Um mês após assassinato de Marielle e Anderson, pouco se sabe sobre caso

iG São Paulo Entidades e parlamentares cobram respostas das autoridades, que justificam serem sigilosas as informações das investigações; até o momento, ninguém foi apontado como possível autor ou mandante do crime contra a vereadora Milhares se reúnem no Rio de Janeiro para se despedir e protestar contra assassinato de vereadora Foto: Reprodução/Facebook Os assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes levaram centenas de pessoas às ruas do Brasil e do mundo. Nos protestos, participantes lembraram as bandeiras da vereadora,  a garantia de direitos de mulheres e LGBTs, o respeito e valorização dos moradores de favelas e o fim da intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, além de pedidos por responsabilização dos culpados. A morte provocou imediatamente fortes reações institucionais. A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) disse que o Estado tem a obrigação de investigar o assassinato “de maneira séria, rápida, exaustiva, independente e imparcial, e punir os responsáveis intelectuais e materiais”. O assassinato será tema de uma reunião, que deverá ocorrer em maio. O Sistema das Nações Unidas no Brasil (ONU Brasil) emitiu nota em que espera “rigor na investigação do caso e breve elucidação dos fatos pelas autoridades, aguardando a responsabilização da autoria do crime”, posicionamento seguido por outras organizações nacionais e internacionais de direitos humanos. No dia 20 de março, um documento assinado por mais de 100 organizações de direitos humanos foi lido...

Read More

Atirador do massacre da Flórida quer doar herança às vítimas

Nikolas Cruz em audiência na última quarta-feira Reuters / Taimy Alvarez / 11.4.2018 Nikolas Cruz, 19, o atirador que cometeu o massacre na escola secundária Marjorie Stoneman Douglas, em Parkland, na Flórida (EUA), há dois meses, disse à justiça norte-americana que quer doar a herança que receberá de sua mãe para sobreviventes e familiares das vítimas. Quando fizer 22 anos, Cruz terá direito a receber uma quantia ainda não determinada, entre 800 mil (cerca de R$ 2,4 milhões) e 1 milhão de dólares (cerca de R$ 3,14 milhões), de um seguro de vida e um fundo de investimentos feitos em nome da mãe, Lynda Cruz, que morreu em novembro do ano passado. Audiência Durante uma audiência, na última quarta-feira, para determinar se Cruz tem direito a um defensor público para representá-lo no julgamento pelo tiroteio do dia 14 de fevereiro, a advogada Melissa McNeill falou sobre a intenção de seu cliente. “Ele não quer esses fundos, seja qual for o dinheiro a que ele tem direito. Ele não quer. Ele gostaria que o dinheiro fosse doado para uma entidade à escolha das famílias das vítimas, uma que eles acreditem que possam ajudar a facilitar a cura de nossa comunidade”, disse McNeill. Veja também Distrito do massacre da Flórida rejeita armas para professores Sobreviventes de massacre da Flórida pedem controle de armas Flórida: policial responsável pela escola não interveio no...

Read More

Participe!

Você acha que a Seleção Brasileira chega a final da Copa da Rússia?

Resultado

Loading ... Loading ...

Patrocinado




Nas Redes Sociais use!

Use nossas hashtags nas redes sociais: #portalagitamozar, #agitamozar, @agitamozar.

Alguma notícia importante aconteceu em sua cidade, nos envie pelo nosso whatsapp:
Ou pelo nosso e-mail: contato@agitamozar.net

ANUNCIE AQUI

Fique Informado

Cadastre seu e-mail para para receber do nosso portal notificações de novos materiais.